Compras Online: Facilitamos o Crédito para Delivery de Roupas

O modelo de compras online está disponível em sites dos mais variados produtos e marcas. Eletrodomésticos, livros, celulares, bebidas, brinquedos, comidas, móveis, sapatos e roupas são só alguns dos produtos que estão sendo comercializados dessa forma. Há muito mais, e o crescimento das novas mídias digitais, juntamente com a expansão da internet, possibilita uma nova gama de possibilidades para os empreendedores que pretendem investir nessa nova área.

Um segmento de compras online que está crescendo nos últimos anos é o investimento em delivery de roupas. Não há nada melhor do que poder comprar roupas e não sair de casa.É como ter o shopping dentro de seu lar: sem filas, sem trânsito e sem lotação de pessoas. Essa é a ideia dos serviços de compras online, já consolidados no mercado, proporcionando uma praticidade para os clientes e facilitando a vida dos amantes de moda, assim como da empresa que está vendendo o produto.

Porém, a segurança de poder experimentar os produtos e ficar com a peça é um fator que compromete as plataformas online. Lutando contra isso surgiu o delivery de moda, serviço que apresenta a possibilidade de o cliente experimentar as roupas e escolher a peça que mais lhe agradou, sem compromisso de compra. É uma nova forma de expandir o mercado de moda, além de atrair mais público. Tudo isso feito através da facilidade da internet e das novas mídias sociais.

Facilidade nas Compras e Crédito

Esse sistema apareceu com o objetivo de impulsionar os serviços de compras online, oferecendo tudo que uma loja física poderia fornecer, e também o conforto de escolher suas peças em casa, sentado no sofá.O problema da falta de tempo não existe mais, o cliente possui total liberdade para decidir quando e onde quer fazer suas compras, sendo algo muito promissor para a maioria das pessoas. É uma ótima forma de tirar a insegurança das pessoas em relação às peças, sapatos e outros acessórios, afinal, ela pode analisar o tipo de tecido, caimento, tamanho e outras características dos produtos antes de decidir se realmente vale a pena ficar com o item.

Esse novo serviço juntamente com o nosso crédito bancário, pode ser muito útil para pessoas mais ocupadas que não possuem tempo de fazer compras no shopping ou em outras lojas.Há empresas que até disponibilizam roupas para crianças e bebês, facilitando a vida de muitos pais que passam pelo estresse de ter que levar os filhos para comprar roupas. Com o delivery, os pais podem gastar esse tempo de outro modo, junto de seus filhos.

Crescimento no mercado

Esse modelo de e-commerce está crescendo cada vez mais nos últimos anos e representa um diferencial no mercado de vendas, onde as empresas que estão se consolidando com essa abordagem de fornecer vestimentas e outros acessórios pelo delivery, acabam saindo na frente e ganhando mais oportunidades de expandir seu negócio. Ao mesmo tempo, é uma nova forma de propagar a moda e ampliar a empresa, dando oportunidades para o crescimento profissional do empreendedor, e aumentando a segurança e satisfação dos clientes.

Qual a diferença entre TED, DOC e transferência bancária?

Uma dúvida muito comum que surge para pessoas que querem fazer pagamentos pelo seu banco: qual a diferença entre TED, DOC e transferência bancária?

É uma dúvida comum e compreensível. Ver as opções por cima, no seu internet banking ou nos caixas eletrônicos de autoatendimento, pode ser muito confuso. Parecem, essencialmente, a mesma coisa. E elas são parecidas, mesmo. A boa notícia é que logo as confusões diminuirão.

Vejamos tudo por partes.

TED, DOC e Transferência bancária

Sua dúvida é muito comum pois tanto a TED quanto o DOC são também transferências bancárias. A única diferença entre eles dois e a transferência bancária comum é o destino da transação.

A transferência bancária pode ser feita apenas para contas do mesmo banco. Assim, se quiser transferir qualquer valor para alguém cuja conta seja no mesmo banco que o seu, transferência bancária comum é a escolha certa.

TED e DOC, por outro lado, são as escolhas disponíveis para quando a transferência de dinheiro será feita para uma conta num banco diferente do seu. Simplificando, é a transferência entre bancos.

TED e DOC: diferenças mais antigas

Saber que TED e DOC são ambas formas de se transferir dinheiro da sua conta para outro banco pode parecer ainda mais confuso. O que os diferencia, então?

A realidade é que, antigamente, haviam maiores diferenças.

DOC – É a abreviação para Documento de Ordem de Crédito. O DOC tem algumas características diferentes da TED. Uma delas é o tempo que demora para a transação ser concluída, de no mínimo 1 dia útil. Às vezes pode demorar mais – bem mais. Tudo depende de questões dos dois bancos envolvidos.

Outra diferença são seus valores. O DOC tem um limite máximo de valor para se transferir, de R$4.999,99.

TED – É a abreviação de Transferência Eletrônica Disponível. Era a transferência a ser escolhida quando seus valores a transferir fossem de R$5.000 ou mais. Seu limite mínimo era de R$500. Outra diferença com relação ao DOC é que a TED cai geralmente no mesmo dia, sem tanta demora.

Atualmente

Como a TED é uma modalidade de transferência muito mais ágil, o governo foi diminuindo seu valor mínimo exigido. Ele primeiro caiu para R$250 e, hoje, não existe mais. Você pode optar por fazer sua TED no valor que quiser. Tudo será feito de forma mais rápida.

Porém, fique atento ao escolher a TED. Diferentemente do DOC, essa modalidade não permite que você cancele ou mude a transação. Sempre que preencher os dados, certifique-se de que esteja tudo certo – duas vezes, se for preciso.

Como e onde fazer transferência bancária comum, TED e DOC?

Em breve o DOC deve cair em desuso. Você pode já ir optando pela TED.

De qualquer forma, os bancos disponibilizam que você faça qualquer uma dessas modalidades: pessoalmente, no seu banco; pelos caixas eletrônicos e postos de autoatendimento; pela internet, via bankline; e por bankfone também.

Taxas

A transferência bancária, eletrônica ou não, costuma ser livre de taxas. E isso a diferencia bastante de DOC e TED.

DOC e TED têm taxas cobradas, e não são tão baixas assim. A boa notícia é que o valor dessas taxas não é percentual – são valores fixos, que não variam. Não importa se seu valor de transferência é de R$100 ou 10.000 reais.

Se você sente alguma dificuldade em efetuar transferências por autoatendimento e via internet, peça ajuda de alguém de confiança, da sua família. Vale a pena, pois as taxas cobradas para efetuar transferências para outros brancos pessoalmente costumam ser bem perto do dobro das demais.

Por isso que, dependendo da situação, pode ser mais vantajoso efetuar um depósito físico comum, no banco do destinatário. Você fica livre de taxas, é especialmente bom para valores baixos.

DOC e TED podem dar errado?

Sim, podem. Isso pode ocorrer por diversas razões, vindas dos dois bancos. As transferências passam por análises e processos de autorização, e se algo está fora do acordado, a transferência não é finalizada.

Quando isso acontecer você deve contatar o gerente do seu banco. É comum que as transações não se completem por dados errados, mas podem haver outras razões, até mesmo suspeitas.

O problema de quando derem errado é que, não apenas seu dinheiro não é entregue como desejado, mas a taxa paga não é reembolsável. Para refazer a transferência você deve pagá-la novamente.

Mais um motivo para redobrar a atenção ao efetuar suas transferências e escrever os dados.

Dados necessários

Para fazer DOC e TED você precisa de alguns dados do destinatário:

– Nome completo;

– CPF ou CNPJ;

– A informação se é conta corrente ou poupança;

– Número do banco (geralmente fornecido online);

– Número da agência e conta.

Como ganhar dinheiro investindo baixos valores

Se você quer saber como ganhar dinheiro investindo pouco, não precisa se preocupar: é possível, sim. É claro que você não vai transformar 50 reais em 50 mil em alguns meses, mas você consegue aumentar seu valor inicial de forma bem significativa.

A melhor pedida é que você invista no Tesouro Direto, como dissemos no artigo “Como investir seus primeiros 100 reais”. Investir no Tesouro Direto

significa comprar títulos para investir no Governo Federal, ajudando-o a pagar a dívida pública. Ou seja, você está emprestando dinheiro ao país. É uma boa pedida não apenas para ganhar dinheiro, mas porque você o faz enquanto investe em seu país.

Faremos aqui um passo a passo, desde o começo, para você saber como investir e ganhar dinheiro com isso.

1 – Junte dinheiro

Antes de mais nada, você deve juntar um pouco de dinheiro. Economistas sugerem que você guarde uma quantia por um tempo de 3 a 12 meses. Não precisa ser um monte! E se você tem dificuldade em economizar, eis algumas dicas.
Você pode separar uma quantia semanal. R$10 guardados por semana pode não parecer muito, mas ao longo de um ano você terá um pouco mais de R$500. Juntar dinheiro é essencial, pois te dá mais opções na hora de investir, e ainda garante uma reserva.
Se você tem R$100 e quer investir, por que não esperar somar R$200? Mas isso não é uma regra. Se quiser investir ainda menos de R$100, você pode. Afinal, o Tesouro Direto tem o grande diferencial de permitir investimentos a partir de R$30.

2 – Pesquise o melhor título para você

Existem vários títulos do Tesouro Direto, com características diferentes. Entre essas características estão datas de vencimento, valor de mercado, modalidade (tradicional ou programado) e, principalmente, o comportamento do título.
O comportamento se refere à volatilidade do título. Ou seja, quão estável ele é. Embora nenhum título do Tesouro Direto seja realmente volátil, eles se diferenciam. No Tesouro Selic, por exemplo, é quase impossível de se perder dinheiro.
Veja bem as diferenças entre títulos prefixados e os pós-fixados.

3 – Escolha seu título – mas ainda não invista!

Leia bastante sobre os títulos diferentes, pesquise pela internet. Existem simuladores que mostram, baseados nos valores e taxas de juros do dia atual, como seriam seus ganhos de acordo com valor investido, data de vencimento e título escolhido. Você consegue ter uma boa ideia de mais ou menos quanto pode ganhar.

Se ainda assim sentir dificuldade, tente o Orientador Financeiro do Governo Federal. É um questionário que, ao respondê-lo com o que tem em mente para investir, aponta as melhores opções para suas necessidades. Veja se ele fica de acordo com suas escolhas e pondere mais uma vez.

4 – Se não tiver conta em branco, abra uma

Se está procurando como ganhar dinheiro por meio de investimentos, você deve ter conta. Caso não tenha, chegou a hora.
Os únicos requisitos para investir no Tesouro Direto são possuir um CPF e uma conta bancária. Se por algum acaso você não é correntista, mude isso já – vá ao branco de sua preferência e abra uma conta.

5 – Escolha seu agente de custódia

Agora você deve escolher um agente de custódia. Ou seja, escolha um banco ou corretora que fará o intermédio de tudo o que você fizer de transação com o Tesouro Direto. Vale lembrar que não é qualquer banco ou corretora que estão habilitados. Você deve pesquisar e ver se sua escolha é apta.Também não se esqueça de que talvez haja uma taxa de custódia para pagar por essa intermediação. Mas não se preocupe, as taxas costumam ser baixas. Veja como cada agente cobra, pois seu parâmetro de escolha pode ser pela taxa mais em conta. Alguns nem sequer a cobram.
Você deverá abrir uma conta nessa instituição para poder efetuar transações com o Governo. Lembre-se de ver bem quais documentos o agente de custódia exige.

6 – Finalize o cadastro

Você vai ter agora uma senha da BM&FBovespa para acessar a área restrita do Tesouro. Isso significa que você já pode ser considerado um investidor habilitado e pode começar a investir quando bem entender!

É bom que você troque sua senha provisória por uma pessoal, difícil de descobrir e fácil de lembrar. Assim você garante sua segurança.

7 – Invista!

Já certo de seu título de escolha e de seu valor, agora basta investir. Você pode escolher três formas distintas de fazer seu investimento.

• Uma delas, a menos prática, é usando sua agência de custódia escolhida. Você os autoriza a negociar os títulos no seu nome, e eles fazem por você. Mas pode ser que a sua instituição escolhida não ofereça esse serviço.

• Algumas dessas agências incorporaram o site do Tesouro ao seu site oficial. Assim, acessando sua conta via internet, você consegue, dentro dela, acessar a área restrita do Tesouro.

• A terceira forma é fazer seu investimento diretamente no site do Governo. Lá você pode programar compras, vender e comprar no ato, ver seus investimentos e também seu extrato.

Pronto! Agora você já saber como proceder e, se quiser investir um novo valor, basta seguir os passos 2,3 e 7. Quando estiver bem avançado e compreender bem os investimentos, pule o terceiro.

Lembre-se de planejar bem. Quando retirar seus rendimentos, procure planejar-se bem para reinvesti-los e ganhar ainda mais. Conforme você ganha mais experiência – e dinheiro -, pode cogitar valores maiores em investimentos de maior volatilidade e, claro, maior rentabilidade também.